sexta-feira, 12 de novembro de 2010

SHANGHAI: UMA CIDADE CONFUSA

Imagine um templo budista construído á séculos. Um lugar bonito, com arquitetura preservada e pinturas restauradas; um lugar que desse calma e tranqüilidade. Agora imagine esse templo cercado por mega prédios futuristas, localizado em uma ruela e de lá de dentro a única coisa que se ouve são as buzinas e as pessoas na rua. Essa é Shanghai: um lugar onde o tradicional e o novo estão misturados de forma tão impactante que não se sabe mais o que é, de fato, da cultura chinesa.


Shanghai é a principal cidade da China. Possui o maior numero de habitantes, o maior número de carros e é a principal economia dentro do país – uma São Paulo chinesa. Há dezenas de conjuntos habitacionais, parecidos aos que o Maluf mandou construir em São Paulo, em frente á condomínios de alto luxo, com uma arquitetura arrojada. O cenário choca, mas ao mesmo tempo encanta. Há três passeios que tornam essa cidade uma parada obrigatória á quem vai á China:
TEMPLO BUDA DE JADE
Esse é o templo que descrevi no começo do post. A localização é péssima e ainda que façamos esforço para se desligar do mundo lá fora, é um passei muito bom. Os visitantes podem comprar incenso (cada um com significado) e queimar em frente ao templo em incensários enormes. Além disso pode-se pedir para os monges fazerem orações por você (mediante um pagamento, é claro) e ver de perto a escultura de um Buda de Jade.
Fachada do Templo com incensários

Monges fazendo preces para uma família chinesa



SWFC OBSERVATORY
No maior edifício da região de Pudong, em Shanghai, você pode ter uma vista panorâmica de toda a cidade á mais de 430 metros de altura. O equivalente á cem andares! Á noite todas as luzes de Shanghai dão vida á metrópole e é o melhor horário para se tirar boas fotos.
http://www.swfc-observatory.com/en/

Prédio SWFC


video


JARDIM DA FELICIDADE
Fica no centro histórico de Shanghai. É o lugar mais caótico que há na cidade. A mega construção foi inundada por lojas e restaurantes de fast food; as praças possuem palcos e apresentações de cantores de música típica. Dentro do Jardim o caos não é muito menor, mas o cenário é bonito.


Em meio ao caos, o centro histórico de Shanghai

O Jardim da Felicidade



Um dos mega shoppings da metrópole
Shanghai é uma metrópole como muitas por aí, mas com um toque chinês de mega população e confusão. Ainda assim, é um lugar que proporciona uma experiência única do que talvez venha a ser a nova identidade da China.

Vem por aí o último post da série NEUROSIDADE NA CHINA:
> EXPO SHANGHAI: PAVILHÃO BRASILEIRO NÃO FICA A DESEJAR NA MAIOR FEIRA DO MUNDO

terça-feira, 2 de novembro de 2010

BEIJING: O SÍMBOLO DA TRADIÇÃO CHINESA

Quem quer ter um contato real com a tradição e cultura milenar da China, então Beijing (Pequim, em portugês) é o lugar certo. Avenidas largas, trânsito caótico, praças gigantes, multidões em qualquer lugar que você vá e construções milenares por todos os lados. Isso resume a capital da China, Beijing.



Os principais pontos turísticos do país se localizam em Beijing: a Grande Muralha, a Praça Celestial da Paz (Praça Tian’na Men = Praça do Portal da Paz Celestial), a Cidade Proibida, o Palácio de Verão, o Templo do Céu, o Museu Nacional da China, o Grande Hall do Povo e muitos outros lugares que exalam a força e a tradição da cultura chinesa.


CIDADE PROIBIDA
Possui 2Km de extensão. Sempre cheio, os visitantes atravessam portais com números afortunados de cravos (que, segundo a superstição, ao passarmos as mãos passamos a ter sorte), cruzam pontes de mármores e se espremem na multidão para conseguir tirar uma foto dos tronos que o Imperador usava para determinadas ocasiões. O detalhe e o perfeccionismo chinês está presente no simbolismo das imagens, nos detalhes do telhado e na pintura das construções.




Um dos tronos do Imperador

Detalhe do telhado



A GRANDE MURALHA DA CHINA
Uma das sétimas maravilhas do Mundo, é, com certeza, um passeio que exige certo preparo físico. São milhares de degraus irregulares e altos, organizados em subidas íngremes da montanha. Todos querem subir ao ponto mais alto para conseguir fotos da panorâmica - que é maravilhosa - mas á cada estação que chegamos, notamos que há mais o que subir. O jeito é ir até onde o corpo aguenta ou não medir esforços para cumprir o ditado chinês, criado pelo Mao Tse-Tung: “Quem não subir a Grande Muralha, não é um homem de verdade”. Ao subir até determinado ponto (bem alto, diga-se de passagem) há uma lojinha que grava seu nome em uma placa certificando que você subiu a Muralha. No caminho encontra-se outra superstição chinesa: cadeados presos com fitas vermelhas. Os casais vão até lá, prendem o cadeado e jogam a chave fora. Um sinal de que não vão se separar nunca.





Superstição do cadeado

video



PALÁCIO DE VERÃO
Era o refugio dos Imperadores para o calor de Beijing. Há um grande lago, um palácio e o longo corredor, de 728m de extensão construído com vigas decoradas com mais de 14 mil pinturas panorâmicas. Ao final do trajeto há o Barco de Mármore e um barquinho em forma de dragão que leva os turistas de volta á entrada do Palácio.

As milhares de vigas decoradas com pinturas panorâmicas


O Barco de Mármore



PRAÇA CELESTIAL DA PAZ
A Praça Tian’na Men é a prova de que existe muito chinês no mundo. A grande dificuldade é conseguir tirar uma foto sem que ninguém entre na sua frente. Na praça encontra-se o Monumento aos Heróis do Povo, o Museu Nacional da China, o Congresso chinês (O Grande Hall do Povo), a Cidade Proibida e o Mausoléu de Mao. Uma fila gigantesca que contorna o centro da praça para ver o túmulo do líder que revolucionou a China.

Portal da Muralha de Beijing

Museu Nacional da China
O Gande Hall do Povo - Congresso chinês

Monumento aos Heróis do Povo

Ao lado, a fila para visitar o mausoléu de Mao



TÚMULO MING: CHANG LING
O maior tumulo da dinastia Ming fica em Beijing. Com construções típicas, os turistas passam por um jardim, um palácio com objetos do imperador, e, enfim, o túmulo. É decepcionante. Não se vê o túmulo. O Imperador mandou construir uma cidade subterrânea, onde ele, suas 40 concubinas favoritas e seus tesouros foram cobertos por uma montanha de areia. O lugar virou uma espécie de floresta e nada se vê além de árvores. Vale a história e a parte mais assombrosa dela: as 40 concubinas foram enterradas vivas!




Maquete da Tumba

Embaixo dessa terra e árvores está a tumba


Beijing é uma cidade incrível. Ao mesmo tempo em que cresce com prédios modernos e futuristas, ela consegue não agredir a paisagem ferindo o feeling que as construções milenares passam. É isso que torna Beijing uma cidade única e harmoniosa, como manda o Feng Shui. 

Próximos posts da série NEUROSIDADE NA CHINA:
> SHANGHAI: UMA CIDADE CONFUSA